Bem-Vindo
A Clinica Oficina dos Mimos
Acordos/Protocolos
Informação para os Pais
Contactos
Clinica Pediátrica
Alergia Alimentar
Convulsões Febris
Eczema de Contacto
Enurese
Estomatite Aftosa
Facilitar o desenvolvimento da Linguagem dos 0-12 meses
Facilitar o desenvolvimento da Linguagem dos 12-24 meses
Facilitar o desenvolvimento da Linguagem dos 2-3 anos
Facilitar o desenvolvimento da Linguagem dos 3-4 anos
O que fazer quando o seu filho tem Febre?
Obesidade
Piolhos
Sol
Traumatismo Craneano
Piolhos

 

Piolhos, um problema natural

Os piolhos são pequenos insectos parasitas que se instalam no couro cabeludo do ser humano e que se alimentam do nosso sangue através de pequenas picadas. Reproduzem-se rapidamente através de ovos, que se designam “lêndeas”. Estas lêndeas possuem um revestimento especial, de uma substância chamada “quitina”, que permite que se fixem fortemente ao cabelo.


Ciclo de vida

O ciclo de vida dos piolhos é de aproximadamente 45-50 dias. Ao fim de cerca de 7-10 dias, as lêndeas originam uma forma imatura, chamada ninfa, a qual alcança o tamanho adulto em 2 semanas; a etapa de adulto dura cerca de 28 dias. A maior parte dos produtos mata os piolhos mas não destrói as lêndeas. Assim, se nada for feito, ao fim de alguns dias elas vão acabar por eclodir e originar novos piolhos.


Como detectar uma infestação de piolhos?

A infestação por piolhos chama-se pediculose. Caracteriza-se por prurido no couro cabeludo, o qual se deve à irritação na pele provocada pela saliva que o piolho deposita quando faz uma picada.

Modo de transmissão

Existem basicamente duas formas de transmissão dos piolhos: transmissão directa, isto é, por contacto de uma cabeça com outra; e transmissão indirecta, através da partilha de pentes, gorros, bonés, fitas de cabelo, cachecóis, etc.

Grupo alvo

A infestação por piolhos é muito comum entre as crianças em idade escolar, com maior incidência entre os 4 e os 6 anos. Trata-se de um problema que não depende dos hábitos de higiene, classe social, doenças, etc. cabelo curto e lavado diariamente com champôs normais não previne o contágio. É um problema natural que mais dia menos dia pode afectar qualquer pessoa. E só a pronta utilização de um produto fácil de aplicar, eficaz, o menos tóxico possível é solução.

Imprima a versão PDF

 Clique aqui para marcar consulta